https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/issue/feed Revista IDeAS 2020-07-16T15:55:41-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com Open Journal Systems <p>A <strong>Revista IDeAS </strong><strong>– </strong><strong>Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade</strong> é um periódico científico de revisão por pares, acesso livre e publicação contínua mantido por estudantes do Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA-UFRRJ). </p> https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/261 Abastecimento, segurança alimentar e políticas públicas para a agricultura familiar no contexto da pandemia do novo coronavírus – Entrevista com Catia Grisa (UFRGS) 2020-07-01T17:24:29-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Com os inúmeros impactos da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), em todo o mundo, pesquisadores de todas as áreas do conhecimento passaram a refletir e analisar as consequências desse evento que já marcou este século e, principalmente, como sairemos de tudo isso. Entre as questões que mais têm levantado preocupações estão a garantia de abastecimento de alimentos e a segurança alimentar. É nesse contexto que a Revista IDeAS convidou a pesquisadora Catia Grisa para analisar os efeitos da pandemia na agricultura familiar, setor fundamental para garantir a alimentação da população brasileira. Grisa analisa a trajetória das políticas públicas para a agricultura familiar no período pré-pandemia, as mudanças no âmbito do consumo e o acesso aos alimentos, as possíveis inovações de políticas públicas, o cenário pós-pandemia e como tem sido a dinâmica do trabalho em pesquisa durante esse período. Com essa iniciativa, procuramos contribuir com a circulação de informações e o debate acerca do enfrentamento das adversidades provocadas pelo novo coronavírus.</span></p> 2020-07-02T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Revista IDeAS https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/252 Expediente – v. 14 jan./dez. 2020 2020-06-19T19:49:05-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com <p>Expediente do volume 14 (jan./dez. 2020) - Publicação contínua.</p> 2020-06-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 REVISTA IDEAS https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/254 Percepção ambiental de consumidores de produtos orgânicos 2020-07-01T09:31:27-03:00 Valéria Feitosa Pinheiro valeriafp@terra.com.br Guilherme Silva Nascimento guilhermesn424@gmail.com Christiane Luci Bezerra Alves chrisluci@gmail.com Anderson da Silva Rodrigues anderson_rodrigues750@hotmail.com Maria Larissa Bezerra Batista maria.larissa25@gmail.com <p>O presente estudo tem por intuito pesquisar a percepção ambiental dos consumidores de produtos orgânicos da feira agroecológica assistida pela Associação Cristã de Base (ACB), em Crato (CE). O processo metodológico utilizado diz respeito à análise exploratória-descritiva, a partir de dados coletados por meio de uma pesquisa primária, mediante a aplicação de questionário semiestruturado. Para tanto, é calculado um Índice de Avaliação de Percepção Ambiental (Iapa), constituído por três dimensões: Percepção Geral e Costumes Sociais Relativos ao Ambiente (PGCSRA); Percepção Relativa ao Consumo Habitual (PRCH); Percepção Relativa ao Consumo de Alimentos Orgânicos (PRCAO). O resultado geral do Iapa aponta que os consumidores têm alto nível de percepção ambiental quanto ao consumo de produtos orgânicos. Portanto, conclui-se que o grau de instrução educacional, o convívio social e a preocupação com as gerações futuras, apresentados por estes consumidores, foram fatores de extrema importância para os números elevados obtidos no índice.</p> 2020-08-03T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Valéria Feitosa Pinheiro, Guilherme Silva Nascimento, Christiane Luci Bezerra Alves, Anderson da Silva Rodrigues, Maria Larissa Bezerra Batista https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/249 Análise econômica comparativa de diferentes canais de comercialização utilizados pela agricultura familiar 2020-06-05T16:24:21-03:00 Simone Bueno Camara simonebuenocamara@gmail.com Tanice Andreatta tani.andreatta@hotmail.com Jenaine de Azevedo jenaineaz@hotmail.com Luciana Fagundes Christofari luciana_christofari@ufsm.br Marcos Antonio Bauer Casarin marcoscasarin27@gmail.com <p>O objetivo deste artigo é avaliar comparativamente a economicidade de diferentes canais de comercialização utilizados no escoamento da produção de melancias de uma propriedade rural familiar. O local de pesquisa é uma propriedade localizada no município de Palmeira das Missões, noroeste do Rio Grande do Sul – BR. O método utilizado foi o estudo de caso, que consiste na apuração de custos da atividade produtiva, referente ao ano agrícola de 2018/2019. O canal mais lucrativo é o face a face (comercialização na propriedade), com a margem de contribuição unitária de 84%. A menor margem de contribuição unitária foi identificada no canal em que a melancia foi comercializada por meio de intermediários (63%). Entretanto, a inserção no mercado, por diferentes canais, consiste em uma estratégia para diminuição de riscos mercadológicos nas produções de alimentos perecíveis, e deve ser vista como complementares.</p> 2020-08-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Simone Bueno Camara, Tanice Andreatta, Jenaine de Azevedo, Luciana Fagundes Christofari, Marcos Antonio Bauer Casarin https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/245 Alimentação escolar e agricultura familiar em municípios do litoral do Rio Grande do Sul 2020-07-16T15:55:41-03:00 Arlan Machado Germano arlanmg@hotmail.com Marilene Cassel Bueno marilenecassel@outlook.com Vanessa Ramos Kirsten kirsten.vr@gmail.com <p>Este estudo teve por objetivo analisar a percepção e a interlocução de nutricionistas em relação à compra de produtos de agricultores familiares para a alimentação escolar em municípios do litoral do Rio Grande do Sul. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado em seis municípios, que contou com a participação de nutricionistas responsáveis pela alimentação escolar. Todas relataram uma percepção positiva referente ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), tanto para o agricultor quanto para o município. A articulação frequentemente ocorre por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, Secretaria de Educação e Secretaria de Agricultura. Citado como uma fonte de alimentos de procedência e inclusão social, o Programa também desenvolve a economia local. As principais dificuldades enfrentadas foram a pequena carga horária para trabalhar no município, a agricultura não ser característica no litoral e a falta de diálogo entre as partes. Assim, para que o Programa seja efetivo, é necessária a colaboração de todos os atores envolvidos, de incentivos e apoio local com atuação ativa e permanente.</p> 2020-08-13T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Arlan Machado Germano, Marilene Cassel Bueno, Vanessa Ramos Kirsten https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/250 ‘Da mata bruta’ aos montes cobertos por cafeeiros, canaviais e pastagens 2020-06-30T11:05:57-03:00 Gabriel Almeida Frazão gabrielfrazao@yahoo.com.br Regis Rodrigues de Almeida regis.almeida@iff.edu.br <p>O trabalho tem por objetivo analisar a dinâmica da estruturação produtiva do município de Cambuci, em seu contexto regional, o Noroeste Fluminense, da segunda metade do século XIX até 1920. Tomando a História Ambiental como fio condutor, analisa-se o papel da cana-de-açúcar, do café e da pecuária na configuração territorial dessa região, com base em dados censitários e em informações do jornal <em>Almanak Laemmert</em>. A partir daí, busca-se compreender os impactos econômicos, ambientais e sociais dessas práticas agropecuárias e sua estreita relação com a malha ferroviária que ali se constituiu e também contribuiu para o desenvolvimento local. Tudo isso à custa de um passivo ambiental elevado, marcado, atualmente, na paisagem da região.</p> 2020-10-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Gabriel Almeida Frazão, Regis Rodrigues de Almeida https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/263 Distribuição da terra e disponibilidade de área nos estabelecimentos familiares do Rio de Janeiro 2020-07-11T19:09:52-03:00 Paulo Marcelo de Souza pmsouza@uenf.br Hadma Milaneze de Souza hadma.souza@ufv.br Niraldo José Ponciano ponciano@uenf.br <p style="margin-top: 0cm;">Com esta pesquisa, buscou-se caracterizar a distribuição da terra no estado do Rio de Janeiro e verificar sua relação com a disponibilidade de terra entre os estabelecimentos familiares. Nesta análise, que se baseou em dados do Censo Agropecuário de 2006, foram empregados o índice de Gini, a área média, o percentual da área correspondente aos 5% dos estabelecimentos maiores e o percentual da área correspondente aos 50% dos estabelecimentos menores. Constatou-se que, em geral, os estabelecimentos familiares do estado apresentam área reduzida. A maior parte deles, quase 87%, pode ser caracterizada como minifúndio. Observou-se ainda que a maior proporção de minifúndios tende a ser encontrada em municípios com estrutura fundiária mais concentrada.</p> 2020-10-19T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2020 Paulo Marcelo de Souza, Hadma Milaneze de Souza, Niraldo José Ponciano