https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/issue/feed Revista IDeAS 2021-05-21T12:03:16-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com Open Journal Systems <p>A <strong>Revista IDeAS </strong><strong>– </strong><strong>Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade</strong> é um periódico científico de revisão por pares, acesso livre e publicação contínua mantido por estudantes do Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA-UFRRJ). </p> https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/285 Ocupações de Terra e Políticas Agrárias no Estado do Rio de Janeiro: a trajetória do assentamento de Campo Alegre (Nova Iguaçu e Queimados) 2021-05-03T17:25:57-03:00 Álvaro Mendes Ferreira alvarofigueiro@yahoo.com.br <p>Durante meados da década de 1980, o assentamento de Campo Alegre foi promovido pelo Estado do Rio de Janeiro como projeto-piloto de reforma agrária. Apesar de sucessos iniciais, esse projeto ambicioso logo se desarticulou tanto no âmbito comunitário quanto no estatal. Este artigo pretende entender por que não se concretizaram as grandes ambições para Campo Alegre, traçando um histórico microrregional denso a partir do estudo sistemático das fontes documentais existentes, sobretudo as produzidas pelos órgãos burocráticos especializados. Do lado da organização popular, enfatizamos a pouca articulação com outros movimentos sociais, dificuldade de gerir bens coletivos, dependência de lideranças personalistas e falta de tradição agrícola dos assentados. Do lado do Estado, situação fundiária cartorialmente complexa, leitura voluntarista pelos burocratas que equacionava os ocupantes em Campo Alegre aos movimentos de posseiros anteriores ao Golpe de 1964, inconsistência nas políticas públicas agrárias e cooptação de lideranças populares.</p> <p>&nbsp;</p> 2021-09-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Álvaro Mendes Ferreira https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/310 Vozes Rurais: a racionalidade nos sistemas agroflorestais do sul do Brasil 2021-05-21T12:03:16-03:00 Ana Beatriz Devantier Henzel biahenzel@hotmail.com Ernestino de Souza Gomes Guarino esguarino@gmail.com Alberi Noronha alberi.noronha@embrapa.br Gustavo Crizel Gomes crizelgomes@gmail.com Adalberto Koiti Miura adalberto.miura@embrapa.br <p>O Sistema Agroflorestal (SAF) ou Agrofloresta possibilita aliar agricultura à conservação ambiental. Conhecer as motivações de agricultores em redesenhar unidades produtivas por meio de SAFs contribuirá para embasar políticas públicas, programas e projetos relacionados. Portanto, com a finalidade de compreender a racionalidade que motiva os agricultores a optarem pelo desenvolvimento de SAFs em suas propriedades, foram entrevistadas dez famílias de agricultores com experiência agroflorestal na Serra dos Tapes, no sul do Rio Grande do Sul, Brasil. As entrevistas foram semiestruturadas, com o objetivo de identificar as motivações que levaram as famílias a se dedicarem às agroflorestas e relacionar estas motivações aos conceitos de racionalidade instrumental e substantiva. Concluímos que os SAFs não são a principal fonte de renda agrícola das famílias entrevistadas, reservando ao sistema um papel mais importante no âmbito ecológico, uma vez que a maioria dos agricultores optou pela agrofloresta a fim de restaurar os agroecossistemas degradados, além de produzir alimentos limpos para autoconsumo, porém, o retorno econômico também é esperado. Os agricultores agroflorestais valorizam as boas práticas agrícolas e enxergam na agrofloresta uma alternativa na busca da segurança alimentar e nutricional, geração de renda e conservação dos agroecossistemas.</p> 2021-08-20T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Ana Beatriz Devantier Henzel, Ernestino de Souza Gomes Guarino, Alberi Noronha, Gustavo Crizel Gomes, Adalberto Koiti Miura https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/300 Núcleo de Agroecologia da Universidade de Brasília: contribuições e perspectivas em ensino, pesquisa e extensão 2021-04-17T08:49:07-03:00 Flaviane de Carvalho Canavesi canavesi.flaviane@gmail.com Cristiane Gomes Barreto crisgbarreto@gmail.com Thomas Ludewigs tludewigs@gmail.com Carolina Alzate Gouzy calzateg311@gmail.com Guilherme Fraissat Mamede Ferreira mamede.ambientais@gmail.com Thábata Lohane Pereira Marinho Bezerra thabata.lohane@hotmail.com Ícaro Sousa Abreu icarodelete@gmail.com Zaré Augusto Brum Soares zareaugusto@gmail.com Lauana Vieira dos Santos lauanavdossantos@gmail.com <p>Os Núcleos de Estudo em Agroecologia (NEAs), presentes em universidades, institutos tecnológicos e centros de pesquisa agropecuária federais e estaduais, representam um dos mais importantes legados da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pnater) de 2003, materializados também por meio da Política Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica (Pnapo), e é um marco de destaque entre as conquistas do movimento agroecológico brasileiro. Neste artigo, discutimos a trajetória da concepção, implementação e atuação do NEA da Universidade de Brasília (UnB), e apresentamos uma contextualização das realidades socioprodutivas em cada um dos quatro territórios de atuação do NEA: Chapadinha-DF; bacia do Pipiripau-DF; Mambaí-GO; e Noroeste de Minas-MG. O objetivo é contribuir para a discussão dos desafios de implementação e atuação dos Núcleos de Agroecologia nas universidades e compartilhar algumas lições aprendidas, assim como expectativas de continuidade em um cenário político pouco favorável à agroecologia no país.</p> 2021-07-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Flaviane de Carvalho Canavesi, Cristiane Gomes Barreto, Thomas Ludewigs, Carolina Alzate Gouzy, Guilherme Fraissat Mamede Ferreira, Thábata Lohane Pereira Marinho Bezerra, Ícaro Sousa Abreu, Zaré Augusto Brum Soares, Lauana Vieira dos Santos https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/284 Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras: uma experiência de resistência e etnoconservação no Norte de Minas Gerais 2021-03-17T08:33:14-03:00 Ana Paula Gomes de Melo anameloufmg@gmail.com Ana Paula Glinfskoi Thé anapgthe@gmail.com Patrícia Morais Lima patriciamoraislima@gmail.com Ana Carolina Andrino de Melo carolandrino@gmail.com <p>Este artigo tem o objetivo de analisar a trajetória de criação da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Nascentes Geraizeiras – RDSNG, a partir da teoria dos estudos em etnoconservação e das relações entre desenvolvimento, territorialidade e conservação ambiental em populações e comunidades tradicionais. A RDSNG é o resultado da experiência de uma luta territorial: a resistência dos povos tradicionais “geraizeiros” que habitam os planaltos, as encostas e os vales das regiões de cerrados, no Norte de Minas Gerais. Por meio da realização de pesquisa documental, observação não participante e entrevistas formais e informais com os agricultores das comunidades beneficiárias e gestores da RDSNG, pode-se constatar que é na disputa por alternativas ao paradigma do desenvolvimento hegemônico que esses povos vêm se organizando, lutando e resistindo para permanecer em seus territórios e manter seus modos de vida.</p> 2021-06-18T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Ana Paula Gomes de Melo, Ana Paula Glinfskoi Thé, Patrícia Morais Lima, Ana Carolina Andrino de Melo https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/290 A agricultura familiar no processo de construção do Plano ABC 2021-02-05T15:45:42-03:00 Leticia Andrea Chechi leticiaandreachechi@gmail.com Livia Maria Kalil de Jesus liviamaria.kalil@gmail.com <p>Este trabalho tem por objetivo discutir a participação dos atores da agricultura familiar no processo de construção do Plano ABC, tendo a abordagem da ação pública como base teórica. A pesquisa contemplou a realização de 27 entrevistas com atores-chave, dados quantitativos de operacionalização da política e análise documental. Observou-se que a construção do Plano ABC contou com a participação de diversos atores, com diferentes interesses e discursos. Concluiu-se que os principais fatores que afastaram os representantes da agricultura familiar do processo de construção do Plano ABC podem ser sintetizados nos seguintes temas: uma construção de política pública em resposta a uma demanda internacional, feita em um curto período de tempo; uma fraca adesão à proposta de transição da agricultura convencional para agroecologia; a antecipação do Mapa em relação ao lançamento de um instrumento de crédito específico, bem como a priorização de outras agendas no período.</p> 2021-03-15T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Leticia Andrea Chechi, Livia Maria Kalil de Jesus https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/283 Ex-alunos da Escola Família Agrícola de Olivânia: quem são e quais seus projetos para o futuro? 2021-02-03T16:13:39-03:00 Leonardo Rauta Martins rauta.martins@gmail.com <p>Neste texto, buscamos analisar as diversas situações que compõem a trajetória de egressos da Escola Família Agrícola de Olivânia – EFA-O, em especial aquelas relacionadas ao período em que estes sujeitos eram estudantes, à situação presente e a seus projetos de futuro. Tais projetos são o ponto de partida para uma reflexão sobre como se articulam disposições constituídas ao longo da vida desses jovens, dispositivos educacionais orientados para a valorização do espaço rural e experiências escolares com a pedagogia da alternância. Nossa análise baseia-se em informações recolhidas por meio de um questionário, aplicado para ex-alunos da EFA-O, em diálogo com autores das ciências humanas e sociais, particularmente aqueles relacionados às categorias evocadas anteriormente (Schutz, Bourdieu, Dodier, Barbot e Dewey). Esse exercício permitiu, além da construção de um perfil desses ex-alunos, o debate acerca de elementos que influem nas escolhas sobre “ficar ou sair” das áreas rurais.</p> 2021-03-08T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Leonardo Rauta Martins https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/274 A humanidade e o coronavírus: um olhar antropológico sobre nós, a natureza 2020-12-17T12:11:48-03:00 Vicente Carvalho Azevedo da Silveira aquario.vicente@gmail.com <p>Este artigo é um exercício teórico sobre as diferentes perspectivas com que ocidentais e ameríndios percebem a pandemia do coronavírus e seus efeitos sobre a natureza e a humanidade. Resgatando as <em>Considerações filosóficas</em> de Bakunin (1871), promovemos um diálogo entre sua concepção de natureza e das fronteiras entre o humano e o não humano, construídas em oposição a alguns dos princípios básicos da filosofia ocidental, e leituras antropológicas recentes que buscam em filosofias ameríndias explicações alternativas às causas da pandemia. O perspectivismo ameríndio e sua ontologia relacional contribuem para a superação da oposição entre natureza e humanidade característica da ciência ocidental, promovendo uma visão de natureza em que todos os seres, inclusive os humanos, estão interligados e são parte de um todo maior; em que cada espécie vê a si mesma como humana, de modo que devemos negociar constantemente os nossos atos predatórios para que o equilíbrio ecológico seja mantido.</p> 2021-03-04T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Vicente Carvalho Azevedo da Silveira https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/281 Pobreza hídrica en 78 municipios del Noroeste de México: una reflexión a partir del Índice de Pobreza Hídrica y la Pobreza Multidimensional, 2015 2020-11-16T17:23:50-03:00 María Juliana Olivas-Palma juliana.olivas@estudiantes.ciad.mx Mario Camberos-Castro mcamberos@ciad.mx <p><span style="font-weight: 400;">El objetivo de este trabajo es estimar el grado de pobreza hídrica en los 78 municipios de la Región Hidrológico-Administrativa 2, Noroeste de México, año 2015, e identificar los vínculos entre los Índices de Pobreza hídrica (IPh) y Pobreza multidimensional (IPm). Metodología: se implementa el IPh de Lawrence, Meigh y Sullivan (2003). Resultados: el IPh presentó valores entre 0.36 y 0.71; 39 municipios presentaron un IPh muy bajo y bajo, lo que equivale al 25% de la población total, del cual 16% es rural y 6% está en pobreza extrema. Los índices comparten las variables ingreso, salud, escolaridad, agua y saneamiento y 44.5% de la variación del IPh se explica por el IPm. Conclusiones: a medida que mejora el IPm en las variables comunes al IPh, en esa misma proporción se beneficia éste. Por lo tanto, estos son los componentes del IPh sobre los cuales se necesitan focalizar las políticas públicas para mejorar la pobreza hídrica.</span></p> 2021-03-01T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 María Juliana Olivas-Palma, Mario Camberos-Castro https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/296 Entrevista com Nelson Giordano Delgado 2021-01-13T16:48:00-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">A Revista IDeAS tem a satisfação de publicar mais uma entrevista da nossa série especial que tem como objetivo promover o diálogo com pesquisadoras e pesquisadores que se dedicam aos estudos sobre o mundo rural em suas múltiplas interfaces. Nosso entrevistado é o Dr. Nelson Giordano Delgado, que é professor titular do Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Delgado abordou temas históricos e contemporâneos centrais aos estudos rurais, recuperando sua trajetória acadêmica, a história do CPDA, o cenário das políticas agrícola e agrária, discutindo ainda a proposta de renda mínima. Nosso entrevistado também compartilha suas percepções sobre a política macroeconômica, o cenário internacional, além das novas questões postas ao meio rural.</span></p> 2021-01-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista IDeAS https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/293 O antirregionalismo caipira de Carlos Alberto Dória 2021-01-13T11:53:26-03:00 Nayara da Silva Stockler nstockler@gmail.com <p><strong>Livro resenhado:</strong></p> <p><span style="font-weight: 400;">DÓRIA, Carlos Alberto; BASTOS, Marcelo Corrêa. </span><strong>A culinária caipira da Paulistânia – A história e as receitas de um modo antigo de comer</strong><span style="font-weight: 400;">. São Paulo: Três Estrelas, 2018.</span></p> 2021-01-22T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Nayara da Silva Stockler https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/298 I Mostra Fotográfica 2021-01-14T16:27:29-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Em sua edição comemorativa de 14 anos, a Revista IDeAS reúne fotografias que foram registradas ao longo do processo de pesquisa de estudantes de pós-graduação das áreas de Ciências Sociais, Humanas e Agrárias. As imagens que compõem a I Mostra Fotográfica virtual da revista nos apresentam o mundo rural como espaço de reprodução material e simbólica, permeado por espiritualidades, conflitos e resistências.&nbsp;</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">O rural como fonte de vida está nos registros imagéticos por meio de elementos que ilustram riqueza e degradação, abundância e escassez, avanços e retrocessos, vida e destruição, êxito e aniquilamento, enfim, inúmeros contrapontos contracenam a mesma composição dos retratos.&nbsp;</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Em transição contínua, aprecie em cada imagem os elementos que compõem esses rurais. Nos aspectos ambientais, alguns componentes se explicitam, por exemplo:</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">- A terra, o solo, a fertilidade e os recursos minerais que compõem a arena de proliferação de vida e também de disputas territoriais.</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">- A água, o rio, o mar, a chuva, preciosos recursos hídricos que saciam as necessidades humanas, nutrem o cultivo vegetal, sustentam a criação de animais, além de escorrer e silenciar catástrofes de todas as ordens.</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">- A colheita, o trato, a arte, as ações humanas que emergem na forma do trabalho, da afeição e da manifestação cultural.</span></p> <p><span style="font-weight: 400;">Em razão da exuberância das fotografias selecionadas, esses itens mencionados servem de exemplos, sem a intenção de restringir a totalidade de sentidos existentes em cada arte. Assim, contemple e exercite sua interpretação nas imagens selecionadas para a I Mostra Fotográfica “Retratos da pesquisa sobre o mundo rural”.</span></p> 2021-01-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista IDeAS https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/295 Expediente – v. 15 jan./dez. 2021 2021-01-13T16:23:57-03:00 Revista IDeAS revistaideas@gmail.com <p>Expediente do volume 15 (jan./dez. 2021) – Publicação contínua</p> 2021-01-14T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Revista IDeAS