Revista IDeAS https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas <p>A <strong>Revista IDeAS </strong><strong>– </strong><strong>Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade</strong> é um periódico científico de revisão por pares, acesso livre e publicação contínua mantido por estudantes do Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA-UFRRJ). </p> pt-BR <ol> <li class="show">Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a&nbsp;<a href="https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt" target="_blank" rel="noopener">Licença Creative Commons (CC BY 4.0)</a>&nbsp;que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li class="show">Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</li> <li class="show">Autores(as) podem realizar acordos contratuais independentes e adicionais para a distribuição não exclusiva da versão do artigo publicado nesta revista (por exemplo, incluí-lo em um repositório institucional ou publicá-lo em um livro) sempre evidenciando que o trabalho foi publicado primeiramente na Revista IDeAS.</li> </ol> revistaideas@gmail.com (Revista IDeAS) revistaideas@gmail.com (Revista IDeAS) sex, 31 jan 2020 00:00:00 -0300 OJS 3.2.1.1 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Abastecimento, segurança alimentar e políticas públicas para a agricultura familiar no contexto da pandemia do novo coronavírus – Entrevista com Catia Grisa (UFRGS) https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/261 <p><span style="font-weight: 400;">Com os inúmeros impactos da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), em todo o mundo, pesquisadores de todas as áreas do conhecimento passaram a refletir e analisar as consequências desse evento que já marcou este século e, principalmente, como sairemos de tudo isso. Entre as questões que mais têm levantado preocupações estão a garantia de abastecimento de alimentos e a segurança alimentar. É nesse contexto que a Revista IDeAS convidou a pesquisadora Catia Grisa para analisar os efeitos da pandemia na agricultura familiar, setor fundamental para garantir a alimentação da população brasileira. Grisa analisa a trajetória das políticas públicas para a agricultura familiar no período pré-pandemia, as mudanças no âmbito do consumo e o acesso aos alimentos, as possíveis inovações de políticas públicas, o cenário pós-pandemia e como tem sido a dinâmica do trabalho em pesquisa durante esse período. Com essa iniciativa, procuramos contribuir com a circulação de informações e o debate acerca do enfrentamento das adversidades provocadas pelo novo coronavírus.</span></p> Revista IDeAS Copyright (c) 2020 Revista IDeAS https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/261 qui, 02 jul 2020 00:00:00 -0300 Expediente – v. 14 jan./dez. 2020 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/252 <p>Expediente do volume 14 (jan./dez. 2020) - Publicação contínua.</p> Revista IDeAS Copyright (c) 2020 REVISTA IDEAS https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/252 sex, 19 jun 2020 00:00:00 -0300 Percepção ambiental de consumidores de produtos orgânicos https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/254 <p>O presente estudo tem por intuito pesquisar a percepção ambiental dos consumidores de produtos orgânicos da feira agroecológica assistida pela Associação Cristã de Base (ACB), em Crato (CE). O processo metodológico utilizado diz respeito à análise exploratória-descritiva, a partir de dados coletados por meio de uma pesquisa primária, mediante a aplicação de questionário semiestruturado. Para tanto, é calculado um Índice de Avaliação de Percepção Ambiental (Iapa), constituído por três dimensões: Percepção Geral e Costumes Sociais Relativos ao Ambiente (PGCSRA); Percepção Relativa ao Consumo Habitual (PRCH); Percepção Relativa ao Consumo de Alimentos Orgânicos (PRCAO). O resultado geral do Iapa aponta que os consumidores têm alto nível de percepção ambiental quanto ao consumo de produtos orgânicos. Portanto, conclui-se que o grau de instrução educacional, o convívio social e a preocupação com as gerações futuras, apresentados por estes consumidores, foram fatores de extrema importância para os números elevados obtidos no índice.</p> Valéria Feitosa Pinheiro, Guilherme Silva Nascimento, Christiane Luci Bezerra Alves, Anderson da Silva Rodrigues, Maria Larissa Bezerra Batista Copyright (c) 2020 Valéria Feitosa Pinheiro, Guilherme Silva Nascimento, Christiane Luci Bezerra Alves, Anderson da Silva Rodrigues, Maria Larissa Bezerra Batista https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/254 seg, 03 ago 2020 00:00:00 -0300 Análise econômica comparativa de diferentes canais de comercialização utilizados pela agricultura familiar https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/249 <p>O objetivo deste artigo é avaliar comparativamente a economicidade de diferentes canais de comercialização utilizados no escoamento da produção de melancias de uma propriedade rural familiar. O local de pesquisa é uma propriedade localizada no município de Palmeira das Missões, noroeste do Rio Grande do Sul – BR. O método utilizado foi o estudo de caso, que consiste na apuração de custos da atividade produtiva, referente ao ano agrícola de 2018/2019. O canal mais lucrativo é o face a face (comercialização na propriedade), com a margem de contribuição unitária de 84%. A menor margem de contribuição unitária foi identificada no canal em que a melancia foi comercializada por meio de intermediários (63%). Entretanto, a inserção no mercado, por diferentes canais, consiste em uma estratégia para diminuição de riscos mercadológicos nas produções de alimentos perecíveis, e deve ser vista como complementares.</p> Simone Bueno Camara, Tanice Andreatta, Jenaine de Azevedo, Luciana Fagundes Christofari, Marcos Antonio Bauer Casarin Copyright (c) 2020 Simone Bueno Camara, Tanice Andreatta, Jenaine de Azevedo, Luciana Fagundes Christofari, Marcos Antonio Bauer Casarin https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/249 qui, 13 ago 2020 00:00:00 -0300 Alimentação escolar e agricultura familiar em municípios do litoral do Rio Grande do Sul https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/245 <p>Este estudo teve por objetivo analisar a percepção e a interlocução de nutricionistas em relação à compra de produtos de agricultores familiares para a alimentação escolar em municípios do litoral do Rio Grande do Sul. Trata-se de um estudo qualitativo, realizado em seis municípios, que contou com a participação de nutricionistas responsáveis pela alimentação escolar. Todas relataram uma percepção positiva referente ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), tanto para o agricultor quanto para o município. A articulação frequentemente ocorre por meio da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural, Secretaria de Educação e Secretaria de Agricultura. Citado como uma fonte de alimentos de procedência e inclusão social, o Programa também desenvolve a economia local. As principais dificuldades enfrentadas foram a pequena carga horária para trabalhar no município, a agricultura não ser característica no litoral e a falta de diálogo entre as partes. Assim, para que o Programa seja efetivo, é necessária a colaboração de todos os atores envolvidos, de incentivos e apoio local com atuação ativa e permanente.</p> Arlan Machado Germano, Marilene Cassel Bueno, Vanessa Ramos Kirsten Copyright (c) 2020 Arlan Machado Germano, Marilene Cassel Bueno, Vanessa Ramos Kirsten https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/245 qui, 13 ago 2020 00:00:00 -0300 ‘Da mata bruta’ aos montes cobertos por cafeeiros, canaviais e pastagens https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/250 <p>O trabalho tem por objetivo analisar a dinâmica da estruturação produtiva do município de Cambuci, em seu contexto regional, o Noroeste Fluminense, da segunda metade do século XIX até 1920. Tomando a História Ambiental como fio condutor, analisa-se o papel da cana-de-açúcar, do café e da pecuária na configuração territorial dessa região, com base em dados censitários e em informações do jornal <em>Almanak Laemmert</em>. A partir daí, busca-se compreender os impactos econômicos, ambientais e sociais dessas práticas agropecuárias e sua estreita relação com a malha ferroviária que ali se constituiu e também contribuiu para o desenvolvimento local. Tudo isso à custa de um passivo ambiental elevado, marcado, atualmente, na paisagem da região.</p> Gabriel Almeida Frazão, Regis Rodrigues de Almeida Copyright (c) 2020 Gabriel Almeida Frazão, Regis Rodrigues de Almeida https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/250 qua, 14 out 2020 00:00:00 -0300 Distribuição da terra e disponibilidade de área nos estabelecimentos familiares do Rio de Janeiro https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/263 <p style="margin-top: 0cm;">Com esta pesquisa, buscou-se caracterizar a distribuição da terra no estado do Rio de Janeiro e verificar sua relação com a disponibilidade de terra entre os estabelecimentos familiares. Nesta análise, que se baseou em dados do Censo Agropecuário de 2006, foram empregados o índice de Gini, a área média, o percentual da área correspondente aos 5% dos estabelecimentos maiores e o percentual da área correspondente aos 50% dos estabelecimentos menores. Constatou-se que, em geral, os estabelecimentos familiares do estado apresentam área reduzida. A maior parte deles, quase 87%, pode ser caracterizada como minifúndio. Observou-se ainda que a maior proporção de minifúndios tende a ser encontrada em municípios com estrutura fundiária mais concentrada.</p> Paulo Marcelo de Souza, Hadma Milaneze de Souza, Niraldo José Ponciano Copyright (c) 2020 Paulo Marcelo de Souza, Hadma Milaneze de Souza, Niraldo José Ponciano https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://revistaideas.ufrrj.br/ojs/index.php/ideas/article/view/263 seg, 19 out 2020 00:00:00 -0300