Submissões

O cadastro no sistema e posterior acesso, por meio de login e senha, são obrigatórios para a submissão de trabalhos, bem como para acompanhar o processo editorial em curso. Acesso em uma conta existente ou Registrar uma nova conta.

Condições para submissão

Como parte do processo de submissão, os autores são obrigados a verificar a conformidade da submissão em relação a todos os itens listados a seguir. As submissões que não estiverem de acordo com as normas serão devolvidas aos autores.
  • A contribuição é original e inédita, e não está sendo avaliada para publicação por outra revista; caso contrário, deve-se justificar em "Comentários ao editor".
  • Li e estou de acordo com as Diretrizes para autores do Código de ética e conduta da revista.
  • O arquivo da submissão está em formato doc/docx, com no máximo 10 MB.
  • Os dados de autoria serão preenchidos de maneira correta e completa na etapa 3 da submissão – nome completo; vínculo institucional com município e país; biografia; link ORCID e link do Currículo Lattes para brasileiros(as) (campo URL).
  • Todos(as) autores(as) contribuíram significativamente para a pesquisa, aprovam a versão submetida e serão listados(as) no ato de submissão.
  • Não é possível identificar a autoria no arquivo do manuscrito, tanto no texto como nas propriedades do documento – ver tópico "Assegurando avaliação cega pelos pares" em Submissões.
  • Artigos com cinco ou mais autores(as) devem detalhar as contribuições em “Comentários ao editor” conforme exemplo e definições no tópico “Critérios de coautoria” na página Submissões.
  • O manuscrito possui resumo com até 150 palavras no idioma do texto e uma versão em inglês (abstract) – não se aplica a resenhas.
  • O manuscrito possui no mínimo cinco palavras-chave no idioma do texto e versões em inglês.
  • O manuscrito possui versão do título em inglês abaixo do título no idioma do texto.
  • O texto segue os padrões de estilo e requisitos bibliográficos descritos em Diretrizes para Autores, na página Sobre a Revista.

Diretrizes para Autores

A Revista IDeAS – Interfaces em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade recebe textos no sistema de fluxo contínuo. Isto significa que não há data limite para envio de propostas de publicação.

A Revista IDeAS não cobra taxas para submissão, avaliação, correções e publicação (ou qualquer momento do fluxo de trabalho) – no publication fees. A revista é aberta à participação de autores(as) externos à UFRRJ.

Antes do envio, solicitamos a leitura atenta das Diretrizes para autores(as) em nosso Código de Ética e Conduta.

- Como enviar um trabalho para a Revista IDeAS?
- Quais tipos de trabalhos podem ser enviados?
- Aspectos formais do manuscrito (formatação)
- Critérios de coautoria
- Assegurando a Avaliação Cega pelos Pares
- Quanto ao conteúdo esperado
- Estrutura recomendada
- Promovendo conteúdos originais
- Regras em referências
- Declaração de Direito Autoral e Política de privacidade

Como enviar um trabalho para a Revista IDeAS?

O envio de manuscritos para avaliação deve ser feito através do sistema da revista após realização de cadastro. O preenchimento dos dados da autoria do artigo ou resenha deve ser o mais completo possível, incluindo sempre vínculo institucional, muncípio/localidade e biografia. Palavras-chave, resumo e referências do envio também devem ser preenchidos corretamente. O arquivo de texto para avaliação deve ser anexado no sistema de submissão – veja as regras de formatação abaixo. Uma notificação automática é enviada pelo sistema quando um manuscrito é submetido à revista. Essa notificação é enviada para o e-mail do(a) autor(a) e serve como prova do envio.

Publicações redundantes de mesma autoria não serão consideradas. No caso de submissões múltiplas de mesma autoria não será avaliado simultaneamente mais de um artigo, sendo considerada apenas a submissão mais antiga.

Autores(as) poderão recusar previamente pareceristas para que editores(as) não os tenham em conta na seleção – por possível conflito de interesse, por exemplo. Uma observação pode ser adicionada na submissão.

Também encorajamos autores(as) e coautores(as) a se registrarem previamente na plataforma ORCID para que, assim, possam fornecer o link de seu ORCID https://orcid.org/sites/default/files/images/orcid_16x16(1).gif em seus perfis no nosso portal a fim de colaborar com os esforços de unificação da atribuição de autoria científica. Ao mesmo tempo, sugerimos a pesquisadores(as) brasileiros(as) a conexão do ORCID à Plataforma Lattes.
Voltar ao topo ⬆

Quais tipos de trabalhos podem ser enviados?

A IDeAS recebe artigos originais e resenhas, obedecendo às normas de publicação abaixo.
1. A Revista IDeAS aceita artigos de caráter teórico e/ou resultado de pesquisa e resenhas de livros relevantes e recentes reservando-se o direito de publicar ou não o material espontaneamente enviado à redação. As resenhas devem versar sobre publicação realizada em até 5 anos, contados retroativamente a partir da data de envio do texto.

2. A Revista IDeAS prioriza a publicação de artigos e resenhas produzidos por estudantes de cursos de pós-graduação stricto sensu ou recém titulados. Contribuições que não se enquadrem nessa situação serão publicadas respeitando um limite máximo de cinquenta por cento do total de artigos publicados em cada número. Esta regra não se aplica para o caso de coautores, os quais podem possuir qualquer titulação, sendo ou não estudantes de pós-graduação.
Voltar ao topo ⬆

Aspectos formais do manuscrito

Formato do arquivo. Deve ser apresentado nas extensões doc/docx.
Idioma. O texto principal pode ser em Português, Espanhol ou Inglês.
Texto. Os trabalhos devem ser escritos na fonte Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5 e justificado.

Tamanho total. Os artigos não deverão ultrapassar o limite de 30 laudas de tamanho A4. Neste cálculo, serão consideradas as referências e tabelas, assim como o resumo/abstract e as palavras-chave. Resenhas devem ter um máximo de 5 laudas.
Título. Deve vir acompanhado de uma versão em inglês escrita abaixo do título original. Deve ser sintético e representativo do estudo, não sendo muito genérico. Não deve ser apresentado em caixa alta (letras maiúsculas). Título e resumo têm a função de despertar a atenção de leitores(as) para o artigo. Por isso, quanto mais evidentes, definidos e bem relacionados estiverem ao conteúdo do manuscrito, maiores as chances de se obter sucesso nesta tarefa. Além disso, resumos e títulos bem estruturados, informativos e refletivos são pontos-chave para a indexação adequada da revista. O título tem um impacto significativo sobre a atenção que o artigo desperta e, por esta razão, deve ser informativo e sucinto. Pode ser elaborado de diversas maneiras, desde que atraia o público-alvo de maneira eficiente. Para isso, deve se basear em informações fundamentais sobre o trabalho, tais como: tema, população estudada, variáveis analisadas, métodos empregados e/ou a conclusão principal. Cabe a autores(as) definir quais desses itens são mais relevantes para atrair a atenção do leitor. De maneira geral, a explicitação da conclusão no título costuma ser mais atrativa.
Resumo/Abstract. Deve ser escrito em espaço simples, no mesmo idioma do texto, com até 150 palavras e uma versão em inglês (abstract). O resumo deve fornecer uma visão geral do trabalho, usando linguagem concisa. O resumo é uma miniatura do estudo e, portanto, deve descrever objetivos, procedimento utilizado para cumpri-los, resultados diretamente relacionados aos objetivos e, finalmente, conclusões da pesquisa. Considerando-se a natureza sintética e limitada do resumo, somente as questões fundamentais dos métodos e as interpretações principais dos resultados – que sustentam as conclusões – devem ser mencionadas. O resumo deve ser adequado tanto para as pessoas que lerão o texto na íntegra quanto para as que não o farão.
Palavras-chave. No mínimo cinco palavras-chave no idioma do trabalho e em inglês (acompanhando o abstract). Também deverão ser incorporadas durante o processo de envio nos campos de metadados correspondentes. Evite repetir termos já utilizados no título e no resumo para ampliar a abrangência de buscas pelo trabalho. Para formular um bom conjunto de palavras-chave, pense em como colegas irão recuperar o artigo, quais termos de pesquisa serão usados para isso. Os termos devem estar associados aos principais conceitos do artigo, podendo também serem utilizados sinônimos ou variantes dos termos fundamentais. Devem ser o mais específicos possível, evitando termos muito genéricos. Pode ser útil revisar as palavras-chave das publicações que são utilizadas como referência.
Identificação. Em razão da avaliação duplo-cego, os arquivos não devem conter o nome do(a) autor(a), bem como referências institucionais e filiações. Todos esses dados devem ser inseridos de maneira completa no cadastro do sistema (etapa 3 da submissão) ou, excepcionalmente, no corpo do texto das mensagens eletrônicas. Veja o tópico abaixo Assegurando avaliação cega pelos pares.
Citações. No corpo do texto, a indicação de referência nas citações diretas deve trazer autoria, ano de publicação e página(s); nas citações indiretas a indicação de página é opcional.
Notas. Devem ser breves e vir no rodapé da página. Recorra a este recurso o mínimo possível.
Fontes de financiamento. A referência deverá estar localizada no final do documento, após as conclusões. Se os resultados apresentados tiverem sido obtidos através de um projeto financiado com fundos públicos, privados ou mistos, a referência completa ao projeto deve ser expressamente indicada: nome, identificador oficial do projeto e entidade financiadora. No caso de existir mais de uma entidade financiadora, esses dados serão registrados para cada uma delas.
Agradecimentos. Devem ser inseridos após as fontes de financiamento (se houver) ou as conclusões.
Gráficos, tabelas e figuras. Devem estar devidamente enumerados e inseridos dentro do corpo do texto. No entanto, figuras e gráficos também devem ser inseridas na submissão em arquivos separados, com alta qualidade e em formato jpg ou png (preferencialmente png). Gráficos, tabelas e figuras devem vir acompanhadas de um breve e explicativo título. O conteúdo básico da tabela deve ser inferido a partir de seu título. Abreviações que aparecem nos cabeçalhos ou no corpo de uma tabela podem ser explicados no próprio título (abreviação entre parênteses). Explique abreviações que requeiram maiores explicações ou que não se relacionem diretamente com o conteúdo do título numa nota geral sobre a tabela. Não use uma nota específica para esclarecer um elemento do título. Tabelas podem ter dois tipos de notas localizadas abaixo do corpo: notas gerais e notas explicativas. A nota geral qualifica, explica e fornece informações relacionadas à tabela como um todo e termina com uma explicação de abreviações, símbolos e afins. Notais gerais devem ser inseridas abaixo do elemento e identificadas pela palavra "Nota". A origem desses elementos também deve ser explicitada abaixo com a palavra "Fonte" se ela tem origem em fonte externa ou elaborada por autores(as).
Siglas e abreviações. Quando de suas primeiras citações, deverão ser apresentadas por completo com suas significações. Palavras em língua estrangeira devem vir em itálico.
Voltar ao topo ⬆

Critério de coautoria

Todos(as) autores(as) devem ser registrados(as) no ato de submissão, sendo esta responsabilidade de quem realiza a submissão.
Manuscritos com cinco ou mais autores(as) devem detalhar as contribuições no campo “Comentários ao editor” conforme exemplo e termos e definições listadas a seguir.
Todos autores listados devem ter contribuído significativamente para a pesquisa e são obrigados a fornecer retratações ou correções de erros quando detectados. É imprescindível, portanto, que cada autor tenha participado diretamente da redação do texto e aprovado a versão submetida.
Cada pessoa listada na autoria deve revisar as sucessivas versões do texto e aprovar a versão final, assumindo a corresponsabilidade ética e acadêmica pela integralidade do seu conteúdo.
Pessoas que contribuíram para o trabalho, mas não cumprem critérios da autoria devem ser citados nos Agradecimentos (incluídos na versão para publicação após o tópico Conclusão).
O autor ou autora correspondente é responsável por garantir que as descrições e as informações sejam precisas e acordadas por todos(as) autores(as).

Artigos com cinco ou mais autores(as). As contribuições de todos(as) autores(as) devem ser listadas conforme exemplo, usando os termos e definições listados abaixo. Autores(as) podem ter contribuído em várias funções ou contribuições.
A Comissão Editorial da Revista IDeAS se reserva o direito de aceitar ou não a condição de coautor para os respectivos participantes assim declarados.

Exemplo de declaração a ser inserido no campo “Comentários ao editor” (etapa 1 da submissão):

Declaração de autoria:
Amanda Silva: Formulação, Investigação, Redação.
João Silveira: Análise formal, Metodologia.
Cintia Amaral: Curadoria dos dados, Análise formal.
Rafael Linhares: Supervisão, Obtenção de financiamento.
Gustavo Almeida: Administração do projeto.
Josiane Pereira: Formulação, Supervisão, Redação.

Funções e definições de autoria:
Formulação/conceptualização - Ideias; formulação ou evolução de objetivos e metas abrangentes de pesquisa.
Metodologia - Desenvolvimento ou desenho de metodologia; criação de modelos.
Software - Programação, desenvolvimento de software; Concepção de programas de computador; implementação do código de computador e algoritmos de suporte; teste de componentes de código existentes.
Validação - Verificação, seja como parte da atividade ou separado, dos resultados e outros resultados da pesquisa.
Análise formal - Aplicação de técnicas estatísticas, matemáticas, computacionais ou outras técnicas formais para analisar ou sintetizar os dados do estudo.
Investigação - Condução de um processo de pesquisa e investigação, realizando especificamente coleta de dados ou evidências.
Recursos - Fornecimento de materiais de estudo, instrumentação, recursos de computação ou outras ferramentas de análise.
Curadoria de dados - atividades de gerenciamento para anotar (produzir metadados), limpar dados e manter dados de pesquisa (incluindo código de software, onde é necessário interpretar os dados em si) para uso inicial e posterior reutilização.
Redação - Preparação, criação e / ou apresentação do trabalho publicado, redigindo especificamente o rascunho inicial (incluindo tradução substantiva); Edição e Revisão pelas pessoas envolvidas na pesquisa, especificamente revisão crítica, comentário ou revisão - incluindo as etapas de pré ou pós-publicação.
Visualização - Preparação, criação e/ou apresentação do trabalho publicado, especificamente visualização/apresentação de dados.
Supervisão - Responsabilidade de supervisão e liderança pelo planejamento e execução da atividade de pesquisa, incluindo orientação externa à equipe principal.
Administração do projeto - Responsabilidade de gerenciamento e coordenação pelo planejamento e execução da atividade de pesquisa.
Obtenção de financiamento – Responsável pela obtenção do apoio financeiro ao projeto que levou à publicação em questão.

Baseado em: ALLEN et al. How can we ensure visibility and diversity in research contributions? How the Contributor Role Taxonomy (CRediT) is helping the shift from authorship to contributorship. Learned Publishing, 32: 71–74, 2019.

Voltar ao topo ⬆

Assegurando a Avaliação Cega pelos Pares

Para assegurar a integridade da avaliação por pares cega, para submissões à revista, deve-se tomar todos os cuidados possíveis para não revelar a identidade de autores e avaliadores entre os mesmos durante o processo. Isto exige que autores, editores e pareceristas (passíveis de enviar documentos para o sistema, como parte do processo de avaliação) tomem algumas precauções com o texto e as propriedades do documento:

- Os autores do documento excluíram do texto nomes, substituindo com "Autor" e o ano em referências e notas de rodapé, em vez de nomes de autores, título do artigo etc.
- Em documentos do Microsoft Office, a identificação do autor deve ser removida das propriedades do documento (no menu Arquivo > Propriedades), iniciando em Arquivo, no menu principal, e clicando na sequência: Arquivo > Salvar como... > Ferramentas (ou Opções no Mac) > Opções de segurança... > Remover informações pessoais do arquivo ao salvar > OK > Salvar.
- Em PDFs, os nomes dos autores também devem ser removidos das Propriedades do Documento, em Arquivo no menu principal do Adobe Acrobat.

Voltar ao topo ⬆

Quanto ao conteúdo esperado

A IDeAS exige que os envios à revista sejam trabalhos originais. Um artigo original não é baseado exclusivamente em uma revisão ou em uma síntese de publicações anteriores no assunto da pesquisa. Mais do que apresentar o conhecimento existente em um novo formato, um trabalho original busca preencher uma lacuna no campo de pesquisa em questão.
Um artigo é considerado uma contribuição original ou inédita quando autores(as) de um estudo ou de uma experiência descreve sua hipótese e a finalidade do estudo, detalha seus métodos de pesquisa, relata os resultados, os interpreta e discute possíveis implicações dos mesmos.
Artigos de resultados de pesquisas. Um artigo original pode ser baseado em um levantamento de dados, que comumente envolve a observação direta ou indireta do assunto pesquisado, seja em laboratório, em campo ou diversos outros tipos de fontes primárias, como documentação. O trabalho deve descrever a metodologia (apontando fontes de dados e forma de análise), os resultados e as conclusões, ou oferecer uma nova interpretação dos resultados ou dados precedentes.
Já em um trabalho original de cunho analítico normalmente são produzidos novos resultados ou uma maneira nova de abordar um problema existente. Em alguns assuntos que normalmente não realizam experimentação, o grau de originalidade está na maneira particular que a compreensão existente é transformada ou reinterpretada baseada no resultado do trabalho do pesquisador.
Artigos de caráter teórico. Devem oferecer mais do que uma síntese do estado da arte de um assunto determinado. É importante que o desenvolvimento do trabalho ofereça uma perspectiva crítica e uma elaboração pessoal na discussão da problemática tratada, para que assim ofereça novos elementos de discussão teórica.
Voltar ao topo ⬆

Estrutura recomendada

Artigos de resultados de pesquisa. A macroestrutura dos artigos originais que são resultados de pesquisa utiliza tradicionalmente o modelo IMRD (Introdução, Métodos, Resultados e Discussão), com possíveis subdivisões e readequações ao tipo de estudo.
Introdução. Deve apresentar o tema principal do estudo e situá-lo dentro de seu campo. Explicite o que se tem conhecimento sobre a questão abordada e as principais lacunas. Apresente os objetivos da pesquisa, o que motivou, conduziu e embasou a proposta do estudo. A introdução deve ser informativa, concisa, despertar curiosidade e estimular a continuidade da leitura. Quais as questões que o estudo pretende responder?
Método. Devem ser detalhados os procedimentos envolvidos na concretização da pesquisa a fim de garantir que o leitor possa interpretar corretamente os resultados. Como os dados que embasam o estudo foram obtidos? São dados produzidos e/ou retrabalhados pelos(as) autores(as)? São dados obtidos a partir de outros estudos? Como os dados foram analisados? O método deve ser bem detalhado, mas devem ser descritas apenas as metodologias utilizadas para a sustentação dos resultados e conclusões.
Apresente adequadamente parâmetros de análise e conceitos-chave.
Em caso de amostras de populações (famílias, agricultores, municípios, por exemplo), caracterize-os adequadamente e indique como foram realizados os registros da pesquisa. Em caso de as análises terem sido apoiadas por programas computacionais, indique-os e aponte as ferramentas utilizadas.
No caso da realização de entrevistas, o tipo de entrevista, de registro e a forma de condução devem ser descritos.
Caracterize o espaço geográfico/território/região em que o estudo foi realizado.
Resultados. Os resultados devem estar direta e estritamente associados aos objetivos. Análises extras, cujo intuito não é evidente, confundem leitores(as). Por esta razão, ao descrever os resultados é sempre interessante ter em mente as perguntas de pesquisa e os objetivos. Se há muitos resultados e/ou objetivos a serem explorados, é recomendável que a seção seja dividida em tópicos para facilitar a compreensão.
Busque escolher a forma mais apropriada para descrever os resultados, ou seja, o formato que sintetiza e salienta os principais achados do estudo. De forma geral, optamos por utilizar ilustrações (tabelas, quadros, gráficos, por exemplo), sempre que facilitam o entendimento dos resultados. Particularmente, as tabelas são úteis para apresentar valores referentes a uma série de variáveis/categorias que ficariam repetitivos se fossem descritos por meio de um texto. Alternativamente, quando se pretende salientar um achado específico, é mais apropriado optar por gráficos, que apresentam a informação de forma mais rápida e clara. Invariavelmente, as informações contidas em qualquer tipo de ilustração devem ser complementares às mencionadas no texto, mas não devem repeti-las, pois a duplicidade eliminaria a função destes recursos visuais.
Os resultados analisados estatisticamente devem preferencialmente conter todas as estatísticas relevantes.
Discussão. Resgate os principais achados do estudo e discutir como o conhecimento gerado por estes resultados pode contribuir para o contexto científico atual. Relacione essas informações à literatura pertinente e culmine com a menção das implicações para o campo de estudo. É importante sempre manter a coerência entre os objetivos e conteúdo da argumentação.
Importante que autores(as) se posicionem no momento da discussão, não bastando simplesmente retomar os resultados e compará-los aos de outros estudos. Contextualize à luz da literatura atual, mencionando explicitamente como os achados do estudo respondem às lacunas do campo de estudo.
É recomendável apontar as limitações do estudo e sugerir perspectivas futuras, sendo desejável explicitar brevemente o tipo e os objetivos das pesquisas sugeridas, pois é deste ponto que outros estudos serão desenvolvidos.
Conclusões ou considerações finais. Autores(as) devem finalizar o manuscrito optando por modelo de conclusão ou considerações finais.

Artigos de caráter teórico. Para artigos de caráter teórico, recomendamos a estrutura Introdução, Desenvolvimento e Conclusões.
Indrodução. Deve explicitar o objetivo e a justificativa do trabalho. As teses devem ser apresentadas de maneira correta, evidente e bem fundamentada, além de estabelecer relação das ideas com trabalhos anteriores sobre a mesma problemática.
Desenvolvimento. Pode ser dividido em diferentes tópicos. Deve-se demonstrar coerência e sistematização no desenvolvimento da discussão e nas relações entre os diferentes argumentos apresentados. Além disso, devem ser expostas teses contrapostas e resultados de trabalhos empíricos que sustentem tais teses, com o intuito de despertar a crítica, reflexão e discussão.
Conclusões. As conclusões devem ser vinculadas aos argumentos apresentados e explicitar as contribuição originais em relação às problemáticas apresentadas.

 

Voltar ao topo ⬆

Promovendo conteúdos originais
A Revista IDeAS adota um processo de verificação de plágio na primeira fase de avaliação dos manuscritos submetidos. Tendo em vista a promoção de conteúdo original, sugerimos que nossos(as) autores(as) e coautores(as) informem-se sobre as formas mais comuns de plágio, a fim de conhecê-las e evitá-las. Para isso, indicamos o acesso ao infográfico elaborado pela Turnitin com o intuito de facilitar a identificação da prática do plágio.


Voltar ao topo ⬆


Regras em referências


As referências devem informar as fontes URLs (links de acesso direto) sempre que possível.

A Revista IDeAS do CPDA/UFRRJ seguirá as normas técnicas mais recentes da ABNT, que são:

- ABNT NBR 6023:2018 – Referências – Elaboração
- ABNT NBR 10520:2002 – Citações em documentos – Apresentação

Abaixo apresentamos um resumo das normas.

ELEMENTOS NÃO TEXTUAIS: Apesar de ser mais comum a citação de textos, as regras de citação valem da mesma forma para imagens, gráficos, tabelas e outros elementos não textuais. É importante referenciar de onde vieram tais elementos, se produzidos pelo próprio autor ou de outra fonte – e neste caso, referenciá-la adequadamente.

EXEMPLOS DE REFERÊNCIAS:

Livro impresso
SOBRENOME DO AUTOR, Nome do autor. Título: subtítulo. edição. Tradução (se possuir). Local de publicação: Editora, data de publicação. Número de páginas ou volume. (Título da Série, Coleção, Número). ISBN. 

Livro eletrônico

Exemplo 1:
PORTO ALEGRE, Manuel de Araújo.  Angélica e Firmino. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2002. Disponível em: <http://139.82.199.12:86/images/livros/obras/ANGELICAEFIRMINO.PDF>. Acesso em: 28 jan. 2003. EBOOK

Exemplo 2:
PORTO ALEGRE, Manuel de Araújo.  Angélica e Firmino. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2002. EBOOK

Artigo em revista impressa
VALENTE, Ivan;  ROMANO, Roberto. PNE: Plano Nacional de Educação ou carta de intenção? Educ. Soc., Campinas, v. 23, n. 80,  p. 97-107, set. 2002. ISSN 0101-7330.

Artigo em revista eletrônica
ZASLAVSKY, Cláudio; GUS, Iseu. Idoso: Doença Cardíaca e Comorbidades. Arq. Bras. Cardiol., São Paulo, v. 79, n. 6, p. 635-639, dez. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/abc/v79n6/13766.pdf>. Acesso em: 31 jan. 2003.

Trabalho apresentado em evento impresso
ZANAGA, Mariangela Pizoni. Conversão retrospectiva e cooperação no processamento técnico de materiais bibliográficos: experiência do Sistema de Bibliotecas da UNICAMP. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 8., 1994, Campinas, SP. Anais...Campinas: UNICAMP/Biblioteca Central, 1994. p. 59-68.

Trabalho apresentado em evento eletrônico
SOUZA, Antonio Lopes de; OLIVEIRA, Fabiano Salomão de; OLIVEIRA, José Carlos de; SANTOS,  Marcelo Paulino de Lima. Uma Biblioteca VRML Para a Visualização de Campos Eletromagnéticos. In: ENCONTRO DE ENSINO DE ENGENHARIA, 5., 2000, Itaipava, RJ. Anais eletrônicos... Itaipava, 2000. Disponível em: < http://www.dee.ufrj.br /VIIEEE /VIEEE/pasta01/VIEEE.html >. Acesso em 30 jan. 2003. 

OBS.: É facultado indicar os nomes de todos os autores em casos específicos (produção científica, projetos de pesquisa, relatórios,etc.) 

Trabalho acadêmico impresso
SEGRE, Nádia Cristina. A avaliação da estabilidade de fibras de polipropileno em  meios agressivos aos materiais a base de cimento. 1995. 64 f. Dissertação (Mestrado em Química aplicada) – Instituto de Química, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

Trabalho acadêmico eletrônico
SEER, H. J. Evolução tectônica dos Grupos Araxá e Ibiá e Canastra na sinforma de Araxá, Minas Gerais. 1995. Tese (Doutorado) - Instituto de Geociências, Universidade de Brasília, Brasília, DF., 1995. (Tese n. 28 Publicada na Internet). Disponível em: < http://www.unb.br/ig/posg/dout /tese28/Capa.htm>. Acesso em: 29 jan. 2003.

Modelo de referência para livros

1 autor
CHANDLER, Raymond. Adeus minha adorada. Tradução de Marina Leão Teixeira Viriato de Medeiros. São Paulo: Abril Cultural, 1984. 264 p. (Série Mistério e Suspense). Tradução de: Farewell, my lovely.

PORTO ALEGRE, Manuel de Araújo. Angélica e Firmino. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 2002. Disponível em:  <http: //139.82.199.12:86/images/livros/obras/ANGELICAEFIRMINO.PDF> Acesso em: 28 jan. 2003.

BRASIL. Ministério da Ciência e Tecnologia. Livro Branco: ciência, tecnologia e inovação. Brasília, DF, 2002. 80 p. Disponível em: <http: //www.prp.unicamp.br/livro_branco_cti.pdf>. Acesso em: 28 jan. 2003.

2 autores
PIMENTEL, A. de A.; PIMENTEL, C. R. de A. Esquindô-lê-lê: cantigas de roda. João Pessoa: Ed. Universitária/UFPB, 2002. 266 p. Acompanham 3 CD-ROM.

3 autores
REGO, R. G. do; REGO, R. M. do; GAUDÊNCIO JUNIOR, S.  A geometria do origami: atividades de ensino através de dobraduras. João Pessoa: Ed. Universitária/UFPB, 2003. 148 p. 

4 autores ou mais
CÔRTE, Adelaide Ramos et al. Avaliação de software para bibliotecas e arquivos. 2. ed. rev. e ampl.  São Paulo: Polis, 2002. 219 p.

Autoria desconhecida
A EVOLUÇÃO da gestão dos recursos hídricos no Brasil. Brasília, DF: ANA, 2002 .1 mini disco a laser para computador,  3 1/2 pol.,  il. color. 

Coordenadores, compiladores, organizadores, colaboradores, e editores (usar no singular)

ALEXANDRE,  Neusa Maria Costa; BRITO, Edineis (Coord.). Procedimentos básicos de enfermagem. São Paulo: Atheneu, 2000. 122 p.
VALENTIM, Marta Lígia Pomim (Org.). Profissional da informação: formação, perfil e atuação do profissional. São Paulo: Polis, 2000. 156 p.
SCHWARZ, HELMUT J. et al (Ed.). Laser interaction and related plasma phenomena. New York: Plenum, 1971. 5 v. Trabalhos apresentados nos Workshops on Plasma Science, 1969-1991.
HOLANDA, S. B.; CAMPOS, P. M.; FAUSTO, B. (Comp.). História geral da civilização brasileira. São Paulo: DIFEL, 1985-1986. 3 t. em 11.

Eventos (congresso, seminário, simpósio...)
SEMINÁRIO DISSEMINAÇÃO DE INFORMAÇÕES EDUCACIONAIS: REGIÃO NORDESTE, 1., 2000, Recife. Anais... Brasília: INEP, 2000. 48 p.

Periódico (fascículo)
ACTA PREHISTORICA, Buenos Aires: Centro Argentino De Estudios Prehistoricos, 1957- . Irregular. ISSN 0567-803X.

Artigo publicado em jornal
MEDEIROS, Delma. Rede pública de saúde adota a acupuntura. Correio Popular, Campinas, 31 jan. 2003. Caderno Cidades, p. 8.

Artigo publicado em jornal online
CID, Rodrigo. Deus: argumentos da impossibilidade e da incompatibilidade. In: CARVALHO, Mário Augusto Queiroz et al. Blog investigação filosófica. Rio de Janeiro, 23 abr. 2011. Disponível em: http://
investigacao-filosofica.blogspot.com/search/label/Postagens. Acesso em: 23 ago. 2011.

Verbete de enciclopédia
DIFUSIONISMO. In: NOVA enciclopédia BARSA. Rio de Janeiro: Encyclopaedia Britannica do Brasil, 1999. v. 5, p. 170-171.

Documento legislativo - leis e decretos
BRASIL. Decreto nº 2.556, de 20 de abril de 1998. Regulamenta o registro previsto no art. 3º da Lei nº 9.609, de 19 de fevereiro de 1998, que dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF., 22 abr. 1998, Seção I, p. 2.

CD-ROM
RIO 500 anos de Brasil: o Rio de Janeiro no século XVI. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade/Secretaria Municipal de Cultura; Arquivo Geral da Cidade, 1994.  1 CD-ROM. Acompanha livreto.

Vídeo/DVD
ABRIL despedaçado. Direção de: Walter Salles. Produção: Arthur Cohn. Intérpretes: José Dumont; Rodrigo Santoro; Rita Assemany; Luis Carlos Vasconcelos; Othon Bastos. [S.l.] :Video Filmes, 2001., 1 videocassete (105 min.), VHS/NTSC, color.

Vídeo exclusivo em meio eletrônico
BOOK. [S. l.: s. n.], 2010. 1 vídeo (3 min). Publicado pelo canal Leerestademoda. Disponível em: http://
www.youtube.com/watch?v
iwPj0qgvfIs. Acesso em: 25 ago. 2011.

Home-page institucional
INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA. ISSN: Número Internacional Normalizado para Publicações Seriadas.  Brasília: IBICT/Ministério da Ciência e Tecnologia, maio 2002. Disponível em: <http://www.ibict.br >. Acesso em 03 fev. 2003.

Tweets
OLIVEIRA, José P. M. Repositório digital da UFRGS é destaque em ranking internacional. Maceió, 19 ago. 2011. Twitter: @biblioufal. Disponível em: http://twitter.com/#!/biblioufal. Acesso em: 20 ago. 2011

Publicações no Facebook
FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL (Brasil). BNDIGITAL I: Coleção Casa dos Contos. Rio de Janeiro, 23 fev. 2015. Facebook: bibliotecanacional.br. Disponível em: https://www.facebook.com/bibliotecanacional.br/photos/a.241986499162080.73699.217561081604622/1023276264366429/?type1&theater. Acesso em: 26
fev. 2015.

Podcasts
PODCAST LXX: Brasil: parte 3: a república. [Locução de]: Christian Gutner. [S. l.]: Escriba Café, 19 mar. 2010. Podcast. Disponível em: http://www.escribacafe.com/podcast-lxx-brasil-parte-3-a-republica/. Acesso em: 4 out. 2010.

Voltar ao topo ⬆

Artigos

Política padrão de seção - artigos avaliados em revisão duplo-cega por pares (double-blind peer review).

Resenhas

Análise crítica de um livro relevante e recente.

Política de Privacidade

Os dados coletados de usuários registrados e não registrados na Revista IDeAS se enquadram dentro do âmbito operacional padrão de periódicos científicos de revisão por pares.

A equipe editorial desta revista usa essas informações exclusivamente para orientar seu trabalho na publicação.
Autores(as) de trabalhos publicados nesta revista são responsáveis por dados sobre pessoas que podem conter ou aparecer em pesquisas publicadas.

Com que finalidade processamos seus dados?

• Enviar comunicações sobre o processo editorial.
• Orientar autores(as) sobre o trabalho de publicação e aprimoramento desta revista.
• Informar leitores(as) sobre autoria e edição de conteúdo.
• Gerenciar correspondência editorial.
• Enviar informações e comunicações informativas relacionadas à pesquisa científica para as áreas de interesse e foco da revista, através de diferentes meios.
• Realizar estudos estatísticos relacionados às áreas de interesse e foco da revista.

A Comissão Editorial não toma decisões automatizadas com base em perfis.
Recebemos e utilizamos informações de outras plataformas, como ORCID e Plataforma Lattes (Brasil) ou tecnologias semelhantes. Isso pode incluir texto ou imagens pessoais disponíveis nessas páginas externas.

Para quais destinatários seus dados são comunicados?

A Revista IDeAS utiliza o Open Journal System como plataforma de publicação. Os recursos digitais e metadados coletados anonimamente por esta plataforma dão suporte ao seu desenvolvimento, excetuando-se as métricas de artigos. Esses dados podem ser compartilhados, anonimamente, e agregados ao seu desenvolvedor Public Knowledge Project (PKP).

A Revista IDeAS também permite a coleta de dados públicos, como recursos digitais e metadados, por outros sistema de distribuição, através do Open Archives Initiative Protocol for Metadata Harvesting (OAI-PMH).

Os metadados pessoais vinculados à publicação de um artigo (nome e sobrenome de autores(as), vínculo institucional, número ORCID, país) são depositados e distribuídos associados aos dados do artigo em diferentes repositórios e plataformas de indexação a que a Revista IDeAS está cadastrada. Da mesma forma e para propósitos de preservação, disseminação e aprimoramento da recuperação científica, é distribuído através do sistema LOCKSS para o arquivo distribuído de bibliotecas, bem como para outros sistemas de ciência aberta.

Os dados não serão transferidos ou vendidos por esta revista ou PKP, nem serão utilizados para outros fins que não os aqui estabelecidos.

Apesar de não haver quaisquer obrigações de fornecimento de dados à revista, o não provimento de dados expressamente solicitados impedirá o registro na revista, o envio de manuscritos e seu acompanhamento editorial.

Voltar ao topo ⬆