Ruralidade e Teoria Social: representação social como possibilidade de análise

Autores

Palavras-chave:

Sociologia rural, Ruralidades, Urbano, Dicotomia, Representações sociais

Resumo

Este artigo ocupa-se de uma discussão teórica em torno do conceito de ruralidade. Parte do contexto de classificação clássica e dualista entre rural e urbano para complexificar a compreensão da ruralidade no contexto contemporâneo. Utiliza-se de revisão bibliográfica para compor uma problematização frente ao entendimento do que é o rural e como é compreendido pelos teóricos da Sociologia. Como resultado fundamental desta análise, destaca-se a tradição de tratar a ruralidade a partir de uma visão urbana, pautada numa classificação limitada, que não dialoga com a multiplicidade e diversidade de expressões sociais produzidas no território rural. Dessa percepção, busca-se superar a dicotomia rural-urbana. Pode-se afirmar que – somada às várias contribuições correntes – a perspectiva de pensar a ruralidade a partir e por meio das representações sociais é uma possibilidade muito enriquecedora às pesquisas na área da Sociologia Rural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Kummer, Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR, Campus Guarapuava-PR, Brasil

Docente da Universidade Tecnológica Federal do Paraná - UTFPR, Campus Guarapuava-PR, Brasil. Doutor em Ciências Sociais (CPDA/UFRRJ, 2019).

Referências

ARAÚJO, T. B. Um novo olhar sobre o rural brasileiro e seus desafios. In: MIRANDA, C.; GUIMARÃES, I. (Orgs.). Agricultura familiar: ruralidade, território e política pública. Série Forum DRS, v. 25. Brasília: IICA, 2015. p. 41-53.

BONOMO, M. et al. Das Categorias aos Grupos Sociais: Representações Sociais dos Grupos Urbano e Rural. Psicologia: Ciência e Profissão, n. 31, v. 4, p. 676-689, 2011.

BRANDEMBURG, Alfio. Do rural tradicional ao rural socioambiental. Ambiente & Sociedade, Campinas, v. XIII, n. 2, p. 417-428, jul.-dez., 2010.

CARMO, R. M. A construção sociológica do espaço rural: da oposição à apropriação. Sociologias, Porto Alegre, ano 11, n. 21, p. 252-280, jan./jun. 2009.

CARNEIRO, M. J. Rural como categoria de pensamento. Ruris, v. 2, n 1, p. 9-38, mar., 2008.

CARNEIRO, M. J. Ruralidade: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura, n. 11, p. 53-75, out., 1998.

COSTA, A. F. Identidades culturais urbanas em época de globalização. Revista Brasileira de Ciências Sociais, n. 17, v. 48, p. 15-31, 2002.

FERRÃO, J. Relações entre mundo rural e mundo urbano: evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 33, p. 45-54, 2000.

GRAZIANO DA SILVA, J. O Novo Rural Brasileiro. Nova Economia, Belo horizonte. v. 7, n. 1, p. 43-81, 1997.

HALFACREE, K. H. Locality and social representations: space, discourse and alternative definitions of the rural. Journal of Rural Studies, vol. 9, n. 1, p. 23-37, 1993.

HOBSBAWM, E. Introdução. In: MARX, K. Formações Econômicas Pré-Capitalistas. 4. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1985. p. 13-64.

KAYSER, B. La renaissance rurale: sociologie des campagnes du monde occidental, Paris: Edition A. Colin, 1990.

LEFEBVRE, H. Problemas da Sociologia Rural. In: MARTINS, J. S. (org.). Introdução Crítica à Sociologia Rural. São Paulo: Hucitec, 1981, p. 144-162.

LEITE, S. P. Ruralidades, enfoque territorial e políticas públicas diferenciadas para o desenvolvimento rural brasileiro: uma agenda perdida? Estudos Sociedade e Agricultura, v. 28, n. 1, p. 227-254, fev. 2020.

MARTINS, J. S. As coisas no lugar. In: MARTINS, J. S. (org.) Introdução Crítica à Sociologia Rural. São Paulo: Hucitec, 1981. p. 11-38.

MARTINS, R. C. Ruralidade e regulação ambiental: notas para um debate político-institucional. Rev. Econ. Sociol. Rural, v. 43, n.2, p. 249-266, 2005.

MARX, K. ENGELS, F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). São Paulo: Boitempo, 2007.

MEDEIROS, L. S. et al. Rural e urbano no Brasil: marcos legais e estratégias políticas. Revista Contemporânea, v. 4, n. 1, p. 117-142, jan-jun. 2014.

MENDRAS, H. A cidade e o campo. In: QUEIROZ, M. I. P. (org.). Sociologia Rural. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 1969, p. 33-40.

MINGIONE, E.; PUGLIESE, E. A difícil delimitação do urbano e do rural. Revista Crítica de Ciências Sociais. 22: 83-99, 1982.

MORMONT, M. Vers une redefinition du rural. Recherches Sociologiques, v. XX, n. 3, p. 331-350, 1989.

MOSCOVICI, Serge. Representações sociais: investigações em psicologia social. 11. ed., Petrópolis: Vozes, 2015.

PAHL, R. E. The rural-urban continum. Sociologia Ruralis, v. VI, n. 3-4, 1966.

REDFIELD, R. The Little Community and Peasant Society and Culture. Chicago: Midway Reprint, 1989.

RIOS, José Arthur. O que é e como surgiu a Sociologia Rural. Revista Ciência & Trópico, Recife, v. 7, n. 1, p. 85-103, jan./jun., 1979.

SAHLINS, M. O pessimismo sentimental e a experiência etnográfica: porque a cultura não é um objeto em via de extinção (parte I). Mana, v. 3, n.1, p. 41-73, 1997.

SANCOVSCHI, Beatriz. Sobre a noção de representação em S. Moscovici e F. Varela. Psicologia & Sociedade, n. 19, v. 2, p. 7-14, 2007.

SARACENO, E. O conceito de ruralidade: problemas de definição em escala europeia. Seminários INEA: Roma, 1996.

SCHNEIDER, S. Território, Ruralidade e Desenvolvimento. In: LOZANO, F. V.; MEDIDA, J. G. F. (editores). Las Configuraciones de los Territorios Rurales en el Siglo XX!. 1. ed. Bogotá: Editorial Pontifícia Unversidad Javeriana, 2009, p. 67-108.

SOARES, Antônio Jorge. Apontamentos para uma crítica à teoria das representações sociais. Revista Direito e Liberdade, Mossoró, v. 7, n. 3, p. 55-64, jul./dez., 2007.

SOROKIN, P. A. et al. Diferenças fundamentais entre o mundo rural e o urbano. In: Martins, J. S. (org.). Introdução Crítica à Sociologia Rural. São Paulo: Hucitec, 1981, p. 198-224.

TÖNNIES, F. Comunidade e sociedade como entidades típico-ideias. In: FERNANDES, Florestan (org.). Comunidade e sociedade: leituras sobre problemas conceituais, metodológicos e de aplicação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1973. p. 96-116.

VEIGA, J. E. Cidades imaginárias: o Brasil é menos urbano do se calcula. Campinas: Autores Associados, 2002.

WANDERLEY, M. N. B. A emergência de uma nova ruralidade nas sociedades modernas avançadas: o rural como espaço singular e ator coletivo. Estudos Sociedade e Agricultura. n.15, p. 87-145, out., 2000.

WEBER, M. Capitalismo e Sociedade Rural na Alemanha. In: WEBER, M. Ensaios de Sociologia. Rio de Janeiro: LTC, 1982. p. 413-437.

WEBER, M. Conceito e categorias da cidade. In: VELHO, O. G. O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 2. ed., 1973. p. 67-88.

WIRTH, L. O Urbanismo como modo de vida. In: VELHO, O. (org.). O Fenômeno Urbano. Rio de Janeiro: Ed. Zahar, 1976. p. 89-112.

Downloads

Publicado

19-10-2021